Due diligence: como definir se uma negociação é vantajosa para você

“Será mesmo que vale a pena comprar essa empresa?”. “Acho que o preço cobrado por este novo fornecedor está um pouco salgado…”. “Estou achando que esta fusão será mais lucrativa para eles do que para nós”. Estes pensamentos são comuns durante a aquisição e fusão de empresas e assinatura de novos contratos. De um lado, há o medo de se comprar por um preço alto, com riscos ocultos. De outro, há a preocupação em se vender por um preço baixo uma oportunidade que não está sendo bem explorada. Para descobrir o preço justo de uma negociação, seus riscos e oportunidades futuras, os empreendedores recorrem a um processo conhecido como “due diligence”.

O que é due diligence?

Due diligence ou diligência prévia, na livre tradução para o português, é um processo de investigação técnica e operacional que avalia riscos e define valores para negociações. Esta investigação analisa os ativos e passivos de uma empresa, aspectos jurídicos, contábeis, técnicos, trabalhistas e demais que se mostrarem necessários. O objetivo é dar transparência total à operação para todas as partes envolvidas, não só seu valor de mercado.

Quais os benefícios de uma due diligence?

  • Checar a viabilidade da negociação
  • Definir o patrimônio com exatidão
  • Estimar a rentabilidade do negócio
  • Identificar riscos em todas as áreas da empresa
  • Confirmar as informações prévias passadas durante o início das negociações
  • Tornar a negociação mais transparente
  • Levantar as normas e aspectos legais que precisam ser cumpridos para concretizar a transação
  • Acessar informações contábeis e avaliar sua gestão
  • Prever riscos e oportunidades de melhorias

Quais são as etapas da investigação?

O processo de due diligence nem sempre é agradável para a empresa que está sendo analisada. Alguns profissionais costumam reclamar que seu trabalho está sendo colocado em xeque, afirmam, de forma perjorativa, que estão sendo investigados e chegam a dificultar o levantamento de dados. No entanto, profissionais capacitados à frente do processo estão preparados para contornar estes e outros obstáculos.

De forma resumida, uma due diligence funciona da seguinte forma:

Levantamento de dados e análises

Informações financeiras, contábeis, jurídicas e as demais envolvidas no segmento de atuacão da empresa são analisadas nesta etapa. Balanços, contratos, livros fiscais, demonstrações de resultados, declarações e recolhimento de tributos, entre outros aspectos, são avaliados.

Na esfera jurídica, são analisadas demandas trabalhistas, previdenciárias, tributárias e outras áreas do direito que estão atreladas ao negócio.

Podem ocorrer entrevistas com funcionários, sócios e fornecedores para melhor compreensão da atuação no mercado.

Elaboração de relatório

De posse das informações relevantes, os profissionais responsáveis pela due diligence reunem as análises e documentos em um relatório. 

Interpretação e conclusão

Todas as informações coletadas são interpretadas pelos profissionais que realizaram a due diligence e um parecer para tomada de decisão sobre a transação em questão é emitido. Riscos, oportunidades e análise de preços são informados nesta etapa. A etapa final é a “hora da verdade” para as partes que estão negociando.

Como solicitar uma due diligence?

Geralmente, uma equipe com profissionais de expertises diversas é formada para concluir o trabalho e é coordenada por um gestor experiente. O tempo de investigação varia, é claro, do tamanho da organização e da complexidade da transação.

Tem alguma dúvida sobre o levantamento de riscos e a precificação em uma negociação? Entre em contato ou envie sua pergunta. Terei a maior satisfação em ajudar a esclarecê-la.